sábado, 27 de maio de 2017

Anatel irá Bloquear os celulares “Xing Ling”? – E agora

A internet, sobretudo geeks, nerds, importadores e afins, se mostrou polvorosa nas últimas 24 horas, logo após a Anatel publicar que irá bloquear aparelhos celulares piratas a partir de setembro. Esta medida a primeira vista, parece o fim do processo de importação já que, do ponto de vista de homologação, aparelhos importados seriam afetados por isto. Isso significaria que eu, você, e todos aqueles que, nos últimos tempos importaram aparelhos, ganhariam maravilhosos pesos de papel ou peça de souvenir. Na realidade, não é bem assim que as coisas funcionam.

Primeira coisa que deve ser entendida é o que é um celular Pirata?! 

Celular Pirata é todo aquele dispositivo ou aparelho que não possui um IMEI válido. O IMEI, sigla em inglês para International Mobile Equipment Identity, ou Indentidade Intenacional de Equipamento Móvel, é uma sequência numérica que identifica o seu aparelho, O IMEI é um código de identificação única, e carrega consigo TODAS as informações de um aparelho (MARCA, MODELO, CARACTERÍSTICAS). O IMEI portanto, vai “dizer” qual é a identidade do seu aparelho. (se quiser conferir o IMEI corresponde de fato ao seu aparelho, basta consultar aqui).

Sendo assim, um celular considerado pirata é aquele que possui um IMEI inválido, seja ele gerado de maneira aleatória ou clonado de outro dispositivo. Exemplo: Possuo um aparelho com Processador Quad-Core, 2GB de Ram, tela 5″. Só que o meu IMEI refere-se a um dispositivo com processador Octa Core, 4GB de Ram, Tela 5,5″. Assim, o IMEI de seu aparelho não corresponde, na realidade, a ele e sim a outro aparelho. Neste caso, podemos considerar seu dispositivo como sendo pirata;

Mas meu aparelho não é homologado pela Anatel. E agora?

Por enquanto, sem problemas. A Anatel está preocupada com aparelhos de baixa qualidade e/ou desenvolvidos para serem réplicas ou sem nenhum tipo de certificação internacional. Estes aparelhos utilizam-se de uma série de bandas/frequências não homologadas, causam interferências diversas e são complicados de se lidar, verificar, e fiscalizar. Os celulares piratas entram pelo mercado “negro” e são de fácil uso nas mais diversas áreas ilícitas, como presídios, por exemplo. Por não seguirem uma regra, nem terem um IMEI válido, são de difícil bloqueio e rastreamento.

Xiaomi RedMi Note 3 Pro 
Para os aparelhos de marcas “famosas” (Leia-se Xiaomi, Lenovo, Meizu, Leeco, etc) não existe, neste primeiro momento, um indicativo que este bloqueio será aplicado. Também é possível afirmar que o modelo atual de bloqueio (feito através do acesso do dispositivo a uma rede de dados qualquer) não seria viável sobre nenhum aspecto. Exemplo: Um turista ou usuário estrangeiro teria seu aparelho bloqueado ao acessar a rede de dados nacional. Isso seria uma aberração!

No mais, não é preciso se preocupar. Os aparelhos importados se tornaram excelente alternativas de custo x benefício para muita gente e não deverão ser proibidos por hora. Eles tem provocado uma revolução no mercado interno, obrigado a algumas marcas a se reinventarem, estimulando o desenvolvimento de novas empresas e gadgets. Portanto, não seria justo nem coerente a realização desta prática, já que as próprias empresas de telefonia acabariam se prejudicando no processo de bloqueio e inutilização um número enorme de linhas.

Vale ressaltar também que essa notícia não é nova. Portanto, não a como definir a efetividade e se de fato o sistema entrará em funcionamento conforme o previsto.

E você? Ficou com medo de ter um dispositivo pirata? De bloquearem os seus aparelhos? Conte aqui suas experiências e reações.

By Igor Leite Silva e Postado no blog TechCafe